O que fazer e Quem faz o que?

1) QUAL O TAMANHO DO SEU PROBLEMA ?

Para saber o que você deve fazer em um ou mais ambientes de uma casa/apartamento o 1o. PASSO é observá-lo e responder a estas perguntas:

a) O ambiente tem vazamentos (grandes ou repetitivos) , ou umidade que não se resolve, ou fissuras nas paredes ou sérios problemas elétricos ?  (S/N)

b) O ambiente como um todo lhe dá sensações ruins devido aos problemas que tem ? Você se sente inseguro(a) nele ?  (S/N)

c)  Você acha que ele não tem tamanho ou condições estruturais (paredes, portas, janelas) adequadas para as atividades que são exercidas nele?  (S/N)

d) Você precisa que sejam exercidas atividades diferentes ou outras atividades que não “cabem” no ambiente ?  (S/N)

e) Você quer acrescentar/diminuir área (construir/demolir), colocar coisas pesadas (como banheira, ofurô, piscina, jardim em cobertura…) ou mudar/consertar partes da construção em si ?  (S/N)

Quando você responde sim a alguma destas perguntas é possível que tenha que fazer mudanças / intervenções grandes. No caso de insegurança, a questão é muito séria!

rachadura(O problema aqui é realmente sério… Espero que vc não tenha deixado as coisas chegarem a este ponto…. Foto: O Estadão)

Mas, se você RESPONDEU NÃO a todas as perguntas acima, olha para o ambiente e só pensa que:

a) Há peças, móveis, etc , desnecessários, ou em má condição, ou que você não usa mais, ou o visual está poluído, ou tem peças/cores/ revestimentos que você não aguenta mais ver ou são desatualizados.

b) Tem dificuldade ou desconforto para fazer as atividades que faz no ambiente, devido à distribuição dos móveis.

c) Precisa mudar ou acrescentar uma nova funcionalidade ao ambiente, sabe que há espaço, mas não sabe como fazer.

d) Simplesmente acha tudo (ou parte) feio e antigo, não representando mais o seu estilo atual.

e) Quer mudar a cara do ambiente porque, sei lá, deu vontade!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA(Sala que parece em boas condições estruturais, mas com uma decoração péssima)

Quando  você responde sim a uma ou mais destas perguntas e não lhe parece haver necessidade de mexer na estrutura da casa (janelas, paredes, acrescentar coisas pesadas demais ou resolver problemas estruturais – fissuras, rachaduras, problemas elétricos/hidráulicos sérios, etc) , vale a pena tentar melhorar o que já existe com intervenções bem mais simples.

 Pense em: Funcionalidade, suas necessidades atuais, sua segurança, seu conforto e seu prazer visual. Este passo é uma análise do seu ambiente atual, deixando claro para você mesmo qual é o problema. Só sabendo o problema você pode encontrar a solução!

2) PROFISSIONAIS: QUEM FAZ O QUE?

Pequenas mudanças, como a troca de móveis, objetos de decoração, etc, podem ser feitas por você com ou sem a ajuda de um ou uma decorador(a) ou designer de ambientes/interiores. É claro que estes profissionais foram treinados e tem experiência, logo, terão mais facilidade para fazer este trabalho.

O (a) decorador (a) é expert em dar um aspecto visual bonito a um ambiente: escolha de móveis, cores, acessórios, tecidos para revestimentos de móveis, tintas e papéis de paredes, objetos decorativos, quadros, enfim, tudo ligado à decoração deste. Ele pode propor também melhorias na organização da casa (guarda e organização de roupas, utensílios, etc).

thehevelhouseproject(imagem:thehevelhouseproject)

Um decorador, em geral, NÃO  projeta móveis sob medida, nem troca os azulejos da cozinha, por exemplo. Mas ele (a) pode  sugerir as melhores cores para os azulejos e estilo dos móveis, baseado no seu conhecimento de combinação de cores e estilos da decoração. Ele pode também acompanhar as compras ou até fazê-las. Ele pode por especialização ou experiência, ir além da decoração e propor soluções para melhorar a funcionalidade de um ambiente, MAS esta não é sua especialidade (o que não quer dizer que não possa fazer muito bem – cabe a você confirmar esta capacidade via referências do profissional).

O designer de ambientes ou interiores é expert, além da decoração, na escolha de materiais para revestimentos (piso, paredes, móveis, etc), projetos de móveis sob medida, distribuição e organização dos ambientes construídos, soluções para melhorar ou adequar a funcionalidade do ambiente ao que o cliente precisa, ergonomia, saúde (iluminação,ventilação, conforto térmico, acústica, materiais que não prejudiquem a saúde dos moradores).

design

(foto: http://www.designinteriores.com.br/ da Designer Jaqueline Ribeiro)

Ele pode propor mudanças nas funções dos ambientes para melhor atender suas necessidades, na forma de circulação por eles e até sugerir mudanças mais drásticas a serem feitas com o acompanhamento de profissionais especialistas. Ele pode também acompanhar as compras ou até fazê-las e supervisionar o trabalho executado por terceiros.

Mudar elementos estruturais (acrescentar ou derrubar paredes, acrescentar um andar…) muda o espaço, a funcionalidade, a ventilação, a exposição ao sol, etc, e o mais importante, pode estar mexendo com a ESTRUTURA da casa, que são os elementos que a sustentam. Neste caso, é imprescindível o acompanhamento de profissionais especialistas nestas atividades.

arquitetura

(fotos Fsg  e Mdc)

O (a)  arquiteto (a)  é expert nos aspectos de construção e alguns arquitetos tem conhecimento ou especialização e trabalham fazendo também a decoração e até o design dos ambientes, mas esta não é sua especialidade (o que não quer dizer que não possam fazer muito bem – cabe a você confirmar esta capacidade via referências do profissional).

Um  engenheiro civil  é expert nos cálculos necessários para termos uma construção segura, quando estão envolvidos problemas como aumento de carga (peso) que a estrutura deve aguentar, movimentação ou criação de vigas, novos andares, etc.

Você pode contratar um arquiteto  e  ele pode trabalhar em conjunto com um designer e um engenheiro OU você pode contratar um designer e ele contrata um arquiteto ou um engenheiro para resolver problemas estruturais. Tudo depende do que é necessário fazer e da experiência, competência e responsabilidade do profissional.

O QUE UM DECORADOR FAZ PARA MELHORAR UM AMBIENTE ?

Ele analisa o problema e propõe soluções para criar um ambiente mais harmonioso e bonito. Vou usar um exemplo simples para um melhor entendimento:

Na foto da sala exemplo lá de cima, posso perceber que:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA   – Os sofás e bancos dão uma impressão de bagunça e desconforto.

– O tapete não é harmônico nem em cores nem em estilo.

– O quadro, por seu formato, não ocupa bem a parede.

– As mesas e bancos tem material, estilo e cores diferentes.

– A cortina não permite controle da luz que entra no ambiente.

– Os objetos sobre as mesas parecem pequenas coisas largadas por lá, não embelezam.

– O ambiente  não é aconchegante, convidativo, bonito, organizado..

Então, veja uma possível opção para o espaço,mantendo sua funcionalidade inalterada:

O que fiz ?

– Usei uma paleta de cores aconchegante e harmoniosa, com poucas cores; “Reformei” os sofás; Troquei o tapete por um claro e neutro que contrasta com o tom escuro dos sofás; O quadro por um grupo moderno que ocupa melhor o espaço, com cores que se repetem no ambiente, o que facilita a harmonia; Coloquei uma mesa moderna, baixa e larga, para ocupar melhor o espaço; Acrescentei à cortina outra que pode ser aberta, controlando melhor a luz externa;  A luminária de pé alta ilumina melhor para leitura e é um bom contraste na sala com todos os móveis baixos; O abajur segue a linha mais moderna; Os poucos objetos na mesa tem tamanho e cor em harmonia com o espaço. Esta é uma das milhares de  opções possíveis. E este é um trabalho que um decorador ou um designer de interiores/ambientes são especializados e que um arquiteto especializado em design de interiores ou decoração pode fazer bem também.

O QUE UM DESIGNER DE INTERIORES/AMBIENTES PODERIA FAZER/SUGERIR A MAIS AQUI?

O Designer  poderia, além de dar a solução estética que o meu decorador deu acima, perceber a necessidade de iluminação tecnicamente mais adequada, sugerir acréscimo de novas funções (como uma área para as crianças brincarem nesta sala) ou até a mudança de função, usando esta sala para outra necessidade dos moradores, de forma que toda a casa “funcionasse” melhor. Poderia especificar novo piso por alguma inadequação do piso atual, acréscimo de materiais em parede e forro para melhorar a acústica ou sensação térmica da sala. Poderia sugerir a modificação de paredes e janelas (neste caso, a confirmação desta  possibilidade e execução necessitaria de um arquiteto ou engenheiro) enfim, ir além do visual, procurando melhorar não só estética, mas também funcionalmente, a qualidade de vida no ambiente.

E O ARQUITETO ?

O Arquiteto é o expert na interferência nas estruturas. Então, no exemplo acima, ele poderia  “mexer” na posição da janela (buscando uma melhor ventilação ou insolação). Acrescentar ou modificar a posição de uma parede, criando assim novos espaços para as mesmas ou outras funcionalidades. Ele pode precisar de um engenheiro para mudanças que mexam de forma radical nas estruturas (como a retirada de uma coluna, por exemplo) . Tendo especialização ou muita experiência em Design de Interiores/Ambientes ele poderia fazer todas atividades acima.

Enfim, o que quero deixar claro é que cada grau de interferência em um ambiente comporta um perfil profissional diferente.

Quer embelezar um ambiente que, em todo resto, lhe satisfaz ? Um decorador lhe atende.

Quer ouvir alguém que lhe dê mais ideias para explorar um ambiente OU suas necessidades funcionais não estão sendo bem atendidas no ambiente ? Um designer de interiores / ambientes lhe atende.

Pensa que só mudanças profundas podem lhe satisfazer  OU quer construir / alterar estruturas ? Chame um arquiteto.