Hoje vou reproduzir aqui o texto que postei no Facebook sobre o desmoronamento dos prédios no RJ, com algumas melhorias. Por favor, leia com atenção, porque isso tem a ver com a sua segurança e a de sua família:

” Como sou carioca, moro no RJ e passei à tarde no mesmo dia bem próximo ao local do desabamento dos edifícios no Centro, me sinto bastante envolvida emocionalmente com o fato. Mas vendo o q se está falando sobre as causas do acontecido, estão sendo expostos alguns fatos que quase ninguém presta atenção:

1) NÃO EXISTE FISCALIZAÇÃO SISTEMÁTICA DE PRÉDIOS OU CASAS (MUITO MENOS DE REFORMAS) NO PAÍS – Na verdade, não existe atualmente nem como fazer isso (não haveria pessoal o bastante e não existe esta exigência legal). Muitas fiscalizações só atuam quando há denúncia ou comunicação  – Acrescentando: Isso não é  erro de ninguém. Não há lei que exija que qquer órgão do governo ou não fiscalize de tempos em tempos as edificações. Quem deve fazer isso são, na verdade, os síndicos que, ao perceberem problemas, devem agir para resolve-las.

2) NÃO EXISTE PREOCUPAÇÃO OU CONHECIMENTO, NA MAIORIA DAS PESSOAS, com as consequências que uma pequena obra no seu imóvel pode trazer.

3) A MAIORIA DAS OBRAS E REFORMAS (de médio e pequeno porte) SÃO FEITAS SEM A SUPERVISÃO DE UM ARQUITETO/ENGENHEIRO. Este último fato percebo claramente no meu blog: Já respondi centenas de comentários e e-mails pedindo opiniões ou projetos que envolvem derrubada ou construção de paredes, modificação de portas e janelas, acréscimo de banheiras, fechamento de varandas, mudança de escadas e até piscinas.

A todos sempre respondo:

NÃO FAÇO ESTE TIPO DE TRABALHO E NÃO PEÇA NEM OPINIÃO A UMA PESSOA QUE NÃO ESTÁ VENDO SEU IMÓVEL PESSOALMENTE E QUE NÃO TEM COMPETÊNCIA PARA TAL!

NÃO FAÇA UMA OBRA DESTE TIPO SEM UM ARQUITETO/ENGENHEIRO RESPONSÁVEL!

DEPENDENDO DA OBRA VC PRECISA DE AUTORIZAÇÃO DO SÍNDICO E DA PREFEITURA DA SUA CIDADE!

E os comentários continuam chegando, todo o tempo.

Além disso fui síndica do meu prédio por um ano e vi q neste meio de certificações e fiscalizações, mesmo as obrigatórias, é fácil vc conseguir um documento sem que a fiscalização tenha realmente sido executada de forma séria.

PORTANTO, vc que mora em algum lugar, mesmo sendo locador, tenha atenção e procure conhecer o estado geral do seu prédio e “fiscalize” a sua casa e obras executadas no seu prédio.

E vc, proprietário, antes de realizar reforma que MEXA EM PAREDES OU ABERTURAS NELA (VARANDAS, JANELAS, PORTAS – estes 2 últimos se as paredes forem estruturais) OU AUMENTE O PESO SOBRE A ESTRUTURA (BANHEIRAS, PISCINAS, JARDINS NA COBERTURA, ETC) tenha certeza que está fazendo isso com o profissional correto e que a obra está legalizada antes de começar a ser feita.

Sua casa pode simplesmente cair na sua cabeça.”

Acrescentando:

Parece que poucos sabem, mas até fechar (com vidros) uma varanda pode trazer problemas sérios, assim como revestir o piso da varanda com seixos, pedras, encher uma varanda de vasos grandes com plantas pesadas, colocar uma banheira, etc como vemos muito por aí.

Todo prédio é construído para suportar um certo peso por metro quadrado. Acima disso ele simplesmente não suporta.

Além disso, todo imóvel é construído para se manter de pé da forma como foi construído. Isso é, se vc quer retirar uma parede, acrescentar uma janela, uma porta (este item se as paredes forem estruturais), etc. VC DEVE SE CERTIFICAR SE PODE OU NÃO FAZER ISSO, CONTRATANDO UM PROFISSIONAL COMPETENTE que vá ao seu imóvel, estude a situação, lhe dê uma solução e SE RESPONSABILIZE POR ELA nos órgãos necessários, se for o caso, ANTES DE COMEÇAR A OBRA.

E Finalizando: DESIGN DE INTERIOR e DECORADOR  NÃO PODEM FAZER OBRAS DESTE TIPO, A NÃO SER QUE TENHAM EM SUA EQUIPE ARQUITETOS/ENGENHEIROS QUE SE RESPONSABILIZEM LEGALMENTE PELA OBRA.

10 COMENTÁRIOS

  1. Muito importante esse seu post. Realmente, as pessoas precisam ficar mais atentas a esse aspecto.

    Além de realizar obras sem supervisão, as pessoas precisariam se certificar de que os profissionais contratados SÃO inscritos em registros de classe.

    Não existe arquiteto e engenheiro sem CREA e nem Designer de Interiores que não deva ser registrado ou no CREA ou na ABD.

    Isso é a garantia de que o profissional realizou um curso com o mínimo de horas necessárias para ter conhecimentos básicos de estrutura, para evitar atrocidades como as que vemos.

    Vejo muitos autodenominados “designers” que não tem o mínimo conhecimento de ergonomia e obras “trabalhando” por aí. Quando surgem os problemas, a quem responsabilizar se ele não está atrelado a um órgão de classe??

    Falta também mais fiscalização por parte do CREA e da ABD em fiscalizar os irregulares!!!

    Beijos, adorei o post.

  2. Boa tarde e parabéns pelo post. Simplesmente ótimo. É pena que muita gente que precisa não vai dar atenção a esse tipo de assunto. Eu mesma tenho uma parenta que vive reformando as casas dela, a que mora e a que aluga, e monta e desmonta as pobrezinhas como se fossem de lego. Já falamos (eu e outros parentes) sobre esses perigos que vc mencionou no post e sobre a necessidade de se buscar orientação profissional… mas como vc deve imaginar, a pessoa acha q está ‘tudo sob controle’. E assim vamos caminhando. Eu faço minha parte, como vc, tento alertar, mas se não kiser, fazer o q? Sem querer ser fatalista, negativista e desamorosa, às vezes, vendo esse tipo de noticiário, dá vontade de perguntar: tem certeza mesmo que as pessoas envolvidas não sabiam o q era necessário fazer para ter segurança? Tenho minhas dúvidas.
    Mais uma vez, parabéns pelo blog!
    Bjs!

  3. Oi, Janaina,
    Obrigada pelo apoio! Infelizmente o que vc diz é verdade, mas espero (e estou fazendo a minha parte), que as pessoas cada vez mais tenham conhecimento e façam as escolhas mais seguras para suas vidas. Qto a sua obra, se as aberturas foram pequenas e feitas sem dificuldade (encontrar concreto ou vergalhões significa que estamos atingindo estruturas de alguma coisa, com certeza) não há problemas. Outra forma de perceber é notar o aparecimento de trincas e rachaduras, o que acontece rápido.
    Adoro desabafos positivos, o meu post foi um desabafo por ver tanta coisa errada e tantas vidas perdidas…
    Um beijo
    Obrigada
    Rosana

  4. Olá, gosto muito do seu trabalho. Adimiro seu compromisso de informar os leitores. Realmente, já vi diverssos comentários em que sua orientação foi a contratação de um profissional para excução de um projeto. Contudo, penso que trágedias como essa são anunciadas a muito tempo. Não só nos prédios antigos do Centro do Rio, como em toda a cidades, porque não dizer em todo país. Vivemos em uma cultura em que os “puxadinhos” são normais, onde são construidas casas inteiras sem nenhum projeto, que dirá profissional responsável. Seja pelo custo, infinitamente menor do que o prejuizo que pode ser causado, ou pelo simples desconhecimento de quando é necessária tal acessoria. Eu mesma estou reformando minha casa: troquei piso, janelas e coloquei uma porta maior do que a que existia antes, será que precisaria de um nengeiheiro? Ao abrir uma báscula na cozinha, posso ter alterado a estrutura da casa?
    Concordo ser impossível a fiscalização sistemática em prédios e casa, mas porque não começar pelo que está visivelmente irregular? Ora, não precisa ser engenheiro para ver, em um simples passei pela rua, diversas construções em situação de risco. Não adianta só ir lá e notificar famílias que não tem outra forma de morar. Nosso país precisa de políticas públicas de moradia.
    Desculpe o desabafo, é que daqui a pouco outras notícias estarão nos notíciários é tudo será como antes, até a próxima tragédia, seja nos antigos prédios (com do cheiro de gás) do Centro, nas encostas e barreiras habitadas ou em qualquer outra parte do país.
    Grata Janaina.

  5. Olá, sou seguidora do seu blog, e acompanho suas ótimas matérias. Esta aqui, por sinal,
    Muito oportuna e serve bem p/ chamar a atenção das pessoas que pretendem reformar ou modificar seu imóvel. Sou arquiteta, tenho também um blog sobre decoração e interiorese também encontro muitos leitores que me pedem ideias e soluções que eventualmente podem envolver situações drásticas como essa que acabamos de ver aqui no Centro do Rio de Janeiro. Gostaria de postar no meu blog esta sua matéria, você me autoriza? Com os devidos créditos é claro! Assim podemos fazer uma interação maior entre blogs e profissionais. Acho que temos uma responsabilidade muito grande ao levar informações, ideias e soluções para nossos amigos, leitores e clientes. Parabéns pela matéria e fico aguardando seu retorno, ok?
    Abraço,
    Telma

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui