Mais importante que a questão estética – a beleza das luminárias – é o bom planejamento da iluminação da cozinha: Afinal, a cozinha é um ambiente de trabalho onde muitas atividades necessitam de boa luminosidade.

Projeto: Neo Arq (luz fria central e fita de led com luz amarela e spot na iluminação pontual)

Então, vamos aqui enumerar as questões mais importantes para você ter uma iluminação de cozinha eficiente e confortável:

Projeto: une arquitetura e design – Bastante iluminação natural!

A iluminação Natural tem ótima qualidade e é gratuita!

Na construção ou reforma priorize ao máximo iluminar bem a cozinha com grandes janelas e passagens abertas para áreas iluminadas que tenham boa abertura (para melhorar também a ventilação – outro item que deve ser muito bem pensado na cozinha).

Fotos: interiorsporn e construindominhacasaclean

Mesmo com boa iluminação natural, e ainda mais em ambientes pequenos, usando cores escuras em móveis ou paredes serão necessárias mais luminárias ou lâmpadas de maior potência (ou maior fluxo luminoso). Já em ambientes com muito branco, principalmente se laqueados/brilhantes/com vidro é preciso se preocupar com ofuscamento ou reflexos indesejáveis.

Foto: asarquitetas

Invista em iluminação central e também na pontual

A iluminação central ou geral deve ser, preferencialmente, difusa (para diminuir a incidência de sombras, a luminária tem um difusor, de vidro, acrílico etc.) e ser potente o bastante para iluminar bem, sem desconforto, todos os cantos da cozinha.  Plafons embutidos com difusor, tubulares (as fluorescentes são cada vez menos usadas) ou rasgos iluminados com perfis lineares de led  no forro de tetos rebaixados atendem muito bem a essa função.

Foto: Brava Arquitetura – Luz neutra em toda iluminação. Repare na delicadeza da iluminação abaixo dos armários superiores

Os spots e trilhos para iluminação central, atualmente muito usados, devem ter lâmpadas com difusores e foco bem aberto, e ser posicionados de forma que sua luz abranja todo o espaço, da melhor forma possível.

Foto: tuacasa – Veja áreas de sombra e excesso de luz (“estourando” acima da geladeira) que os spots na iluminação central podem causar.

Foto: Tua casa – Projeto Renata Santos – Aqui a sombra causada pela luminária de teto por causa do armário superior – para evitá-la se usa a iluminação pontual abaixo dos armários.

No caso de spots e luminárias pontuais, acima da pia, fogão ou bancada, preste atenção nas sombras, ofuscamento ou excessos que estas luminárias podem produzir, atrapalhando a tarefa ou causando efeitos desagradáveis.

Foto: Tuacasa – Projeto Marília Zimmermann – Perfeita iluminação embutida nos armários superiores – a luz não ofusca a visão.

Já a iluminação pontual é aquela, que pode ser direta ou indireta, que você acrescenta para iluminar melhor áreas em que é preciso maior atenção a detalhes do trabalho (pias, fogões/coifas, armários, bancadas, toda área embaixo dos armários superiores etc.), em mesas de refeição ou para chamar atenção para algum ponto – neste caso os pendentes, spots e trilhos funcionam muito bem.

Foto: Projeto Claudia Albertini Arquitetura –  Iluminação pontual acima (iluminando o teto) e abaixo dos armários e também nas prateleiras do móvel em madeira (fitas de led).

As fitas de led e spots são muito usadas atualmente, mas escolha fitas e spots com boa capacidade de iluminação e que não ofusquem se deseja que eles sejam funcionais e não só enfeites. Uma opção é usar lâmpadas dimmerizáveis, principalmente em cozinhas abertas para a sala ou integradas.

Foto: Tua casa – Rasgos com perfis lineares no forro que descem pela parede usando iluminação quente. Pendentes sobre a bancada, luz indireta iluminando o teto e fita de led abaixo dos armários aéreos.

Você pode também pensar em uma iluminação pontual para facilitar a circulação à noite, usando luminárias com sensores de presença próximas ao piso.

Foto: Projeto – Costa Longa Arquitetura – Luz quente na coifa e na sala e luz mais fria abaixo dos armários superiores

Outra ideia que tem sido vista por aí com efeito decorativo é a iluminação indireta, com luminárias na parte superior ou inferior de armários, por exemplo.

Se sua cozinha é pequena pode ser que ela não precise de tantos pontos diferentes de iluminação! Economize!

Atenção aos Pendentes

Pendentes sobre ilhas ou bancadas de refeições são sempre bem-vindos, mas escolha modelos que possam ser facilmente limpos – gordura é uma coisa que entranha em tudo e luminárias pendentes em tecido, ou com aletas, ainda mais não removíveis, podem não ser uma boa escolha! E não esqueça de colocá-los a mais ou menos 90 cm de distância do tampo da bancada, garantir que sua luz ilumine toda ela e escolher modelos cujo tamanho se harmonize com o tamanho da bancada. Evite pendentes quando o teto é baixo demais (abaixo de 2,40 e principalmente mais em bancadas altas).

Lâmpadas quentes – amareladas – ou frias – brancas/azuladas?

As lâmpadas quentes (com temperatura de cor até 3500k) são mais aconchegantes aos olhos. As frias (de 5000k para cima) são mais usadas quando se pretende um nível maior de atenção para executar tarefas (elas permitem uma visão mais apurada do ambiente e passam uma sensação de asseio), mas tornam o ambiente menos aconchegante e confortável aos olhos, além de fazer com que as cores quentes não fiquem tão bonitas assim aos nossos olhos (carnes vermelhas, por exemplo).

Foto: interlight – efeitos de diversas lâmpadas com IRC e temperaturas diferentes

Por ser um ambiente de trabalho, a cozinha, muitas vezes, tem luz fria ou neutra, mas nada proíbe que você use lâmpadas com luz quente (até 3500k). O que é necessário é que o IRC (índice de reprodução de cor – determina o quanto próximo da realidade a lâmpada reproduz as cores que enxergamos) seja alto (de 80 para cima) para uma ótima percepção da cor dos alimentos principalmente.

Foto: arquitetizze – A importância do alto IRC na percepção das cores

Uma dificuldade em relação a temperatura da cor das lâmpadas são os ambientes integrados: Uma cozinha com luz muito fria (6400k por ex) pode não ter um bom efeito quando integrada a uma sala com luz muito quente (2700k, por ex) . Nesse caso, pode-se fazer uma mistura colocando as próximas à cozinha com uma temperatura mediana (como 4000k) ou um pouco mais quentes e as mais distantes mais quentes ainda, fazendo uma transição mais sutil. Ou então, colocar todas as luminárias com 2700/3000k exceto as pontuais onde achar conveniente iluminação para tarefas delicadas e detalhadas.

Foto: vivadecora – Mistura de Lâmpadas quentes e frias na cozinha aberta para a sala

Dúvidas? Pergunte nos comentários, ok ?

E não se esqueça de nossas redes sociais!

1) Acesse tbém nosso FacebookPinterest ,  Instagram  e YouTube. Em cada um temos conteúdos diferentes!

2) Caso tenha interesse em um projeto ou  consultoria para sua casa, apartamento ou ambiente escreva para [email protected] , fale sobre o seu problema e envie foto(s) dos ambiente(s) na luz do dia. Nós realizamos consultoria específica e também projetos completos sempre respeitando o seu gosto, orçamento e necessidades. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui