Elementos do Projeto

a) Espaço -> As Necessidades dos usuários e as  medidas do espaço devem nortear as decisões do projeto e são as primeiras informações que o(a) designer deve ter. Sem elas, não se pode iniciar um projeto.

Sem harmoniza-las o projeto não terá sucesso:  Nada adianta atender todas as necessidades em um espaço entulhado de itens que não permitem uma boa circulação Ou conseguir um espaço com itens bem dimensionados para o espaço, mas que não atendem todas as atividades que nele serão executadas.

b) Forma e Contorno –> Do espaço e dos objetos:

retos (masculinas, formais)  Curvos (femininas, suaves)

Linhas verticais (alongam, tornam mais sério) Horizontais (acalmam, relaxam, abaixam)   “Quebradas” (trazem movimento, instabilidade) ?

A decisão em relação a estes elementos depende do espaço, do que se deseja enfatizar ou “esconder” (podemos querer disfarçar uma sala alta demais, por exemplo, para aumentar a sensação de aconchego – linhas horizontais ajudam a conseguir este efeito) e do clima que o cliente deseja que o ambiente possua (na mesma sala alta, se  o cliente deseja mostrar imponência e não aconchego, linhas verticais fazem o teto parecer mais alto ainda, o que ressalta a sensação de imponência no ambiente).

 

c) Texturas

Lisas? Brilhantes (refletem melhor o som e o calor; aproximam; Muito brilho estimula demais)

Rústicas ? Opacas ? (absorvem mais o calor e som; distanciam)

– Estampadas ? (Grandes – Aproximam e são mais facilmente usadas em grandes volumes;    Pequenas – Afastam, dão a impressão de maior e são mais facilmente usadas em pequenos volumes)

– Cada uma nos “lembra” ambientes e podem fazer conexões  a estilos e épocas.

 d) Luz

– Natural e Artificial (Deseja-se ou necessita-se de ambiente claro ou escuro? O cliente deseja um ambiente “cênico”, impactante?)

– Iluminação Funcional (para ler, por exemplo) e Iluminação decorativa

– Necessidade de “cenários” diferentes em diferentes momentos para o mesmo espaço  (para um jantar íntimo ou para uma festa)

– Luz “fria“, “quente“,  Suave,  pontual,  Teatral

– Luz para esconder algo ? Para exaltar algo?

– Iluminação está totalmente ligada à cor e tudo muda se é de manhã, um dia nublado ou de noite…

– A luz (assim como a cor) pode “aumentar”, “diminuir”, “alargar”, etc, um ambiente.

– Há diversos tipos de lâmpadas (incandescentes, halógenas, fluorescentes, Led, etc) com diversas características (temperatura, etc) e Diversos tipos de Luminárias (spots internos, externos, plafons, arandelas, pendentes, abajures, etc)  com diversas características e estilos.Veja aqui a série sobre lâmpadas e Luminárias.

A iluminação é um capítulo importantíssimo da decoração de interiores e pode ajudar ou atrapalhar totalmente um projeto.


e) Cor -> Além do gosto pessoal, as cores tem características, influenciam psicologicamente os usuários de um ambiente (podem estimular, deprimir, irritar, dar sensação de frio, de calor, etc)  e podem (assim como a luz) “aumentar”, “diminuir”, “alargar”, etc, um ambiente, isto é, dar a sensação de que o ambiente é maior, menor, mais largo, mais alto, mais estreito, etc.(Veja aqui a série sobre cores)

Além disso, o efeito de uma cor é modificado pelas outras cores ao seu redor. Os decoradores e designers usam “Esquemas de Cores” ou Paleta de Cores, isso é, conjunto de cores, que podem ser Harmônicos, contrastantes, neutros, monocromáticos, etc. exatamente por essa características das cores de modificarem a percepção de outras no mesmo ambiente. (Veja aqui a série sobre combinação de cores)

Conjuntos neutros são calmos e relaxantes, podendo se tornar frios demais se não houver um toque de cor não neutra ou mais forte. Conjuntos contrastantes podem ser estressantes se todas as cores usadas são fortes demais.

Todos estes elementos devem ser pensados em conjunto a cada detalhe do projeto, pois uns influenciam os demais.

Saiba quais são os princípios do Design de interiores agora!